quinta-feira, 9 de abril de 2009

Pinga Pinga a la mexicana

Saímos numa segunda feira da Cidade do México, deixando pra trás aquele sistema frenético de milhões de pessoas que andam pra lá e pra cá em busca do depois de amanhã, mas antes, aproveitando o tempo que nos sobrara até a partida para a cidade de Zihuantenejo fomos visitar a Praça das Três Culturas, outra ruína asteca, muito bem conservada e muito grandiosa...imaginar que estávamos em cima de uma pequena, mas muito pequena parte de um templo que um dia representou um grande império.
Como uma boa manezinha da ilha, eu já queria sair da cidade grande, estava anciosa para seguir em frente, para em fim ver o mar do Pacífico.
Então pegamos o ônibus às 23:15 horas para a cidade de Zihuantenejo, foi difícil decorar este nome, agora ele sai naturalmente...é que os nomes das cidade são quase todos de origem asteca, então as vezes dá um nó e as letras saem invertidas...mas continuando...de Zihuantenejo para Lazaro Cardenas, de LC para Caleta de Campos e finalmente de CC para Rio Nexpa,. Durante esta epopéia pudemos realmente ver de perto o que é o México como país, vivenciamos o dia deste povo que é solidário e alegre, tivemos uma imersão cultural que nos fez repensar os valores da vida e que é possível ser feliz no Brasil, sim...como é possível!!
Em alguns momentos na fronteira entre os estados nos deparamos com cenas muito distantes à nossa realidade, pelo menos distantes para nós do sul do Brasil, eram tropas de exército à postos atrás de muros de pedras, cena de filme..., confesso que fiquei tensa, mas eu sabia que não ia ser difícil ver este tipo de cena, já que o México mantém assim a segurança de sua população.
Já na rodovia que vinha costeando o litoral...cenas rupestres, infinitas mangueiras e coqueiros, de fundo o mar do Pacífico com baías recortadas entre rocheiros e areia acinzentada.
Rio Nexpa!! Chegamos!
Dormi bastante, depois de um peixe na manteiga, a bordo de um bangalô de madeira, cobertura de palha, estilo choupana, elevado do chão (areia da praia) através de pilares de madeira, de frente para o mar, o Mane já foi estrear sua prancha nova...vou deixar para amanhã eu estrear a outra prancha nova...vou dormir mais um pouquinho...

2 comentários:

Flavinha disse...

Prima! Deve ter sido cansativo essa etapa de ônibus, mas descansar de frente pro Pacífico... Compensa tudo neh? :D Nada melhor no mundo do que estar de frente pro mar!
Mas acredito que a parte mais marcante de uma viagem seja essa: se dar conta da verdadeira característica de um lugar, seja feio ou belo, violento ou calmo... E pelo relato vcs têm conseguido captar bem o verdadeiro México! E viva as viagens de ônibus! :D
Um soninho maravilhoso pra vcs, dias lindos e muitas bênçãos!!!
Beijão enorme!
Flá

jufontes disse...

Oi! Que bom que ajustaram para podermos postar!! Já tinha tentado e não havia conseguido!!
To adorando acompanhas as aventuras, to me sentindo aí com vcs.
O Gian manda um abração.
Beijooooooooo
Ju